Menu

BigLar

Facebook Instagram Youtube

Notícias

Variedade de azeites do BigLar atrai cada vez mais consumidores

Publicado em 10/12/2018 às 11:25

O azeite tem se tornado um item básico na cozinha das pessoas. Pesquisas científicas demonstram o quanto o consumo do produto traz benefícios à saúde. Influenciados também por esses resultados, os mato-grossenses consomem cada vez mais o produto. A rede de Supermercados BigLar oferece uma grande variedade de marcas e tipos de azeite, atraindo o consumo durante todo o ano, em especial nesse período de festas de fim de ano. 
 
De acordo com o sommelier do BigLar, Mario Marcio de Campos, a rede oferece ampla variedade de azeites, de vários países, como Portugal, Itália, Espanha, Chile e Grécia, tradicionais na produção, até azeites nacionais, provenientes do Paraná, Rio Grande do Sul e Minas Gerais, grandes polos do produto no Brasil. Muitos dos rótulos são comercializados com exclusividade no BigLar, como o azeite grego Kalamaki, italianos De Cecco, Alce Nero, Olitalia,  Canpez e Clemente, português Porto Union, espanhol Monumental e os chilenos Sol e Limari, todos extravirgens, com preços competitivos e de alta qualidade, itens considerados indispensáveis pela rede de supermercados. 
 
Ele garante que o BigLar está preparado para atender os clientes e para explicar ao consumidor como escolher o azeite ideal para cada tipo de prato, inclusive para as ceias de Natal e Ano Novo. "O melhor azeite é aquele que vai agradar o seu paladar e a sua receita. Tem alguns que são mais suaves, outros mais picantes, outros um pouco mais intensos e frutados. Existe uma grande variedade, assim como acontece com os vinhos, e eu posso consumi-lo em saladas, em pratos e usar na culinária de maneira geral", completa Mario Marcio. 
 
Além da cozinha, têm aqueles que preferem simplesmente tomar o azeite no desjejum e fazer as suas dietas, até por trazer benefícios à saúde. "Apesar do fim de ano provocar maior procura pelo produto, os cuiabanos e mato-grossenses  consomem azeite durante todo o ano", informa o sommelier, ao dizer que o produto também é muito utilizado para tratamento e usado como cosmético, para hidratação da pele e dos cabelos, hábitos que também são comuns em todo o país. Mas é necessário escolher bem o produto. 
 
“É importante adquirir azeites em locais de procedência. Procure um profissional, uma pessoa do supermercado que possa te orientar, geralmente os repositores, os atendentes e nós mesmos sommeliers podemos orientar os nossos clientes a fazer a melhor escolha do azeite para o dia a dia ou para o prato e a ceia de Natal e Ano Novo", conclui o sommelier.
 
Acidez do azeite
 
De acordo com a União Europeia, os azeites de oliva extra virgens são aqueles obtidos a partir da primeira prensagem e que têm intacta as suas propriedades naturais e que seu grau de acidez seja de até 0,8%. No que tange à acidez de um azeite, pela mesma normativa, considera-se de oliva virgens os que possuem acidez entre 0,8 e 2%. Os chamados azeites lampantes e correntes, usados como combustível, principalmente para acender lamparinas e lubrificar máquinas, possuem acidez superior a 2% e são impróprios para o consumo.
 
Mas o que é essa acidez no azeite? É uma análise química, dos ácidos oleicos da azeitona, feita em laboratórios e por profissionais credenciados, que serve como parâmetro de identificação da qualidade da azeitona quando foi feito o azeite. É dizer que, quanto menor a acidez de um azeite, com melhores azeitonas, com o melhor processo de fabricação ele foi feito e sua conservação foi excelente e isso em nada influenciará no seu sabor. 
 
Segundo a  azeitóloga Ana Beloto, degustadora formada na Espanha e na Itália, o ideal é considerar o parâmetro da acidez como o último item a ser observado na compra de um azeite. “Antes disso, atente-se ao tipo de azeite que está levando (sempre dê preferência em consumir os do tipo extra virgem), a data de produção e envase do produto (quanto mais fresco o azeite, melhor), a sua origem e procedência e embalagens que isolem o produto da luz e do ar, evitando a sua oxidação. Seguindo essas dicas você comprará um azeite de melhor qualidade e não apenas um produto com menor acidez”, conclui a estudiosa. 
 

Fonte: Assessoria de Imprensa BigLar

Sitevip Internet